segunda-feira, 27 de agosto de 2012

do nosso país

Tenho várias teorias sobre tudo. Gosto de ter uma opinião e, quando não a tenho é porque não sei nada sobre esse assunto, então prefiro estar calada. Mas sobre o nosso país tenho algumas opiniões, desde o governo até ao desemprego, passando pela sociologia do português aos nossos hábitos e culturas. Mas se há coisa que me deixa fora de mim neste país são as empresas e os seus mil-e-um-reis-na-barriga. E, na minha singela opinião - que vale o que vale - as empresas são as grandes responsáveis pela crise que estamos a viver, sobretudo a nível dos jovens.

Senão vejamos.

Situação: jovem procura emprego nos sites que temos à disposição em Portugal (não são poucos). Se o jovem for da área x (x entende-se por comunicação, marketing, jornalismo, etc) aquilo que lhe oferecem na maior parte das vezes é um estágio. Mas imaginemos que o jovem já estagiou umas 3 vezes, sempre sem qualquer ajuda de custo. Um estágio não é o que ele procura e acaba por ignorar aquela "oferta de emprego". Só que aqui reside o grande problema: não é este jovem, é o outro. O y, o z, alguém, desesperado, que só quer entrar no mercado de trabalho e só quer uma hipótese e só pensa que depois daqueles três meses (provavelmente a trabalhar que nem um mouro) lhe vão dar uma oportunidade de mostrar que ele merece ser assalariado. E depois destes três meses vem aquela conversa do "ai não vai dar, não temos lugares disponíveis". Mas o interessante é que há sempre um lugar disponível para o próximo estagiário. E vamos rodando de pessoas, de três em três meses, com aquela desculpa empresarial de que estamos a dar conhecimento aos estagiários e estamos a dar-lhes uma opoortunidade sem igual, porque a experiência profissional é muito valorizada mais tarde e blá blá blá. E entretanto, este jovem - que passou os últimos 20 anos a estudar para depois poder ir trabalhar, porque tem que se estudar para poder trabalhar - já só quer é ter uma vida, sair de casa dos pais, ir viajar sozinho e poder fazer tudo isto sem estar dependente financeiramente de alguém. Mas tudo o que arranja são estágios. Daqueles em que tem que se "pagar para trabalhar", gasolina, transportes, comida. É vergonhoso, mas é o país que temos. E as empresas que temos.

Quando "for grande" e tiver a minha própria empresa vou tentar arranjar outras soluções. Até porque já conheci muito estagiário bem mais competente que os assalariados.

1 comentário:

Sandrinha S. disse...

Tens toda a razão...

Desafio para ti no meu blog! Passa por lá!

Beijinhos!